O projecto Alberti Digital é um projecto financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia que resulta da colaboração entre o Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra, o INESC-ID e o ICIST do Instituto Superior Técnico e a Faculdade de Arquitectura.

O projecto parte da tradução de português para o latim do tratado de arquitectura do arquitecto Italiano do Renascimento, Leon Battista Alberti para olhar para o tratado à luz das novas tecnologias. O tratado que teve uma influência grande na arquitectura europeia descreve de forma exaustiva as regras para desenhar edifícios de arquitectura clássica, possibilitando a sua codificação em programas de computador. Estes programas permitem gerar interactivamente modelos tridimensionais de edifícios e partes de edifícios de acordo com as regras, possibilitando a sua visualização em sistemas de realidade virtual ou a sua produção automática por técnicas de fabricação digital.

O interesse no projecto é científico e didáctico, mas também económico, já que a tecnologia desenvolvida no âmbito do projecto poder ser utilizada por fábricas de processamento de materiais para produzir mais rapidamente e a custos mais baixos elementos de arquitectura clássica. Estes elementos ainda hoje são produzidos e exportados por empresas portuguesas em larga escala e o uso desta tecnologia dá-lhes importantes vantagens competitivas.

Os resultados do projecto estão registados numa exposição itinerante que percorreu diferentes sitios em Portugal. A exposição inclui uma descrição da metodologia científica, ilustrada por modelos virtuais e físicos e por programas de computador quer permitem ao visitante explorar o universo arquitectónico codificado no tratado.